Sociolinguística, teoria social e padronização linguística

Marcos Bispo Santos

Abstract


Resumo: Neste artigo, questiona-se a pertinência e a relevância da sociolinguística variacionista como ciência aplicada na abordagem de questões relativas à padronização linguística no Brasil. Para isso, fez-se uma pesquisa bibliográfica dividida em dois eixos, o linguístico e o sociológico, com o intuito de compreender as bases teóricas da sociolinguística brasileira. No primeiro eixo, buscou-se compreender a natureza da sociolinguística com base nas pesquisas de Labov. No segundo, situou-se o componente propriamente sociológico da sociolinguística no contexto das teorias sociais. A análise evidenciou que a metodologia da pesquisa, no contexto da sociolinguística variacionista, é marcadamente positivista e não se coaduna com os princípios da pesquisa social contemporânea. Verificou-se ainda que a tese da ideologia dominante, elemento central da teoria social da sociolinguística brasileira, além de não exercer influência significativa na metodologia da pesquisa, já foi amplamente questionada e não exerce influência na pesquisa social contemporânea.

Palavras-chave: padronização linguística; sociolinguística variacionista; teoria social.

Abstract: In this article, we discuss the pertinence and relevance of Brazilian variationist sociolinguistics as applied science in the approach of issues related to linguistic standardization. In order to do so, we conducted a bibliographical research divided into two axes, the linguistic one and the sociological one, aiming at understanding the theoretical bases of Brazilian sociolinguistics. In the first axis, we discussed the nature of sociolinguistics taking Labov’s research as a starting point. Then, we situated the sociological component of sociolinguistics in the context of Social Theories. The analysis showed that in the context of variationist sociolinguistics, the research methodology is markedly positivist and does not conform to the principles of contemporary social research. We also observed that the Dominant Ideology Theory, a central element in the social theory of Brazilian sociolinguistics, not only did not exert significant influence in the methodology of the research works carried out in the area, but also had already been widely questioned in the context of social research and does not present satisfactory answers to the problems it is supposed to explain.

Keywords: linguistic standardization; variacionist sociolinguistics; social theory.


Keywords


linguistic standardization; variacionist sociolinguistics; social theory.

References


ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar Editor, 1985.

BAGNO, M. A norma oculta: língua e poder na sociedade brasileira. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BAGNO, M. Não é errado falar assim! Em defesa do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

BAGNO, M. Gramática pra que te quero? Os conhecimentos linguísticos nos livros didáticos de português. Curitiba: Aymará, 2010.

BAGNO, M. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal Tradução de Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral II. Tradução de Eduardo Guimarães. 2. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2006.

BASTIDE, R. Antropologia Aplicada. Tradução de Maria Lúcia Pereira e J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BOURDIEU, P. A economia das trocas linguísticas: o que falar quer dizer. 2. ed. Tradução de Sérgio Miceli et al. São Paulo: Editora da UNESP. 2008.

CALVET, L. J. Sociolinguística: uma introdução crítica. Tradução de Marcos Marcionílio. São Paulo: Parábola Editorial, 2002.

CAMACHO, R. G. Da linguística formal à linguística social. São Paulo: Parábola Editorial, 2013.

COELHO, I. L. et al. Para conhecer sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2015.

CORBEIL, J. C. Elementos de uma teoria da regulação linguística. Tradução de Marcos Bagno. In: BAGNO, M. (Org.). Norma linguística. São Paulo: Edições Loyola, 2001, p. 175-201.

ECKERT, P. Three waves of variation study: the emergence of meaning in the study of sociolinguistic variation. Annual Review of Anthropology, Stanford University Press, v. 41, p. 87-100, June 2012. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev-anthro-092611-145828

ECKERT, P.; McCONNELL-GINET, S. Think practically and look locally. Annual Review of Anthropology, Stanford University Press, v. 21, p. 461-90, 1992. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev.an.21.100192.002333

FARACO, C. A. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

FASOLD, R. La sociolingüística de la sociedade: introducción a la sociolingüística. Tradução de Margarita España Villasante y Joaquín Mejía Alberdi. Madrid: Visor Libros, 1996.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Tradução de e Organização de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

GIDDENS, A. A constituição da sociedade. 3. ed. Tradução de Álvaro Cabral. 3. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

HALL, S. O problema da ideologia: o marxismo sem garantias. In: ______. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Resende et al. Editora da UFMG; Brasília: Representação da Unesco no Brasil, 2003. p. 265-293.

HUGHES, J. A filosofia da pesquisa social. Tradução de Heloisa Toller Gomes. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1983.

ILARI, R.; NEVES, M. H. M. (Org.). Gramática do português culto falado no Brasil. v. 2: Classes de palavras e processos de construção. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2008.

JUBRAN, C.C.A.S.; KOCH, I. G. V. (Org.). Gramática do português culto falado no Brasil. v. 1: Construção do texto falado. Campinas: Editora da Unicamp, 2006.

KATO, M. A.; NASCIMENTO, M. (Org.). Gramática do português culto falado no Brasil. v. 3: A construção da sentença. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Análise da conversação. Tradução de Carlos Piovezani Filho. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

LABOV, W. The social stratification of English in New York City. Cambridge: Cambridge University Press, 2006. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511618208

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. Tradução de Marcos Bagno et al. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LUCCHESI, D. Língua e sociedade partidas: a polarização sociolinguística no Brasil. São Paulo: Contexto, 2015.

MAINGUENEAU, D. Pragmática para o discurso literário. Tradução de Marina Appenzeller. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MAINGUENEAU, D. Análise de textos de comunicação. 2. ed. Tradução de Cecília Souza-e-Silva e Décio Rocha. São Paulo: Cortez, 2002.

MARTINS, M. A.; VIEIRA, S. R.; TAVARES, M. A. Ensino de português e sociolinguística. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

MATTOS E SILVA, R. V. Contradições no ensino de português: a língua que se fala x a língua que se ensina. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2005.

PERINI, M. A. Gramática do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

PERRENOUD, P. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Tradução de Cláudia Schilling. Porto Alegre: Artmed, 2002.

RAJAGOPALAN, K. Política linguística: do que é que se trata, afinal? In: NIKOLAIDES, C. et al. (Org.). Política e políticas linguísticas. Campinas: Pontes Editores, 2013. p. 19-42.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

SCHERRE, M. M. P. Doa-se lindos filhotes de poodle: variação linguística, mídia e preconceito. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

ZABALA, A. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para o currículo escolar. Tradução de Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2002.

ZILLES, A. M. S.; FARACO, C. A. (Org.). Pedagogia da variação linguística: língua, diversidade e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.26.2.687-718

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c) 2018 Marcos Bispo Santos

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)