O caráter sociocognitivo da metaforicidade: contribuições do estudo do tratamento de expressões formulaicas por pessoas com afasia e com Doença de Alzheimer

Edwiges Maria Morato

Abstract


Nosso objetivo é analisar aspectos lingüístico-interacionais da interpretação de expressões formulaicas por pessoas com afasia e com Doença de Alzheimer (DA) em fase inicial, a fim de melhor caracterizar a dimensão sociocognitiva da linguagem e seu papel no contexto de ambas as patologias. Nossos dados indicam que, à maneira do que ocorre em contextos não patológicos, sujeitos com afasia e com DA não apenas procedem a uma espécie de “cálculo metafórico” da identificação do significado da expressão a partir da situação de uso e normas pragmáticas relativas às expressões: nossos dados mostram também que a metaforicidade é apreendida pelos sujeitos com o concurso de outros processos cognitivos e mediante expectativas interpretativas que eles nutrem em relação às regularidades lingüísticas atinentes ao cálculo aludido acima.


Keywords


Metaforicidade; Expressões formulaicas; Afasia; Doença de Alzheimer.

References


AMOSSY, R.; PIERROT, A. H. Stéréotypes et clichés: langue, discours, société. Paris: Nathan Université, 1997.

AUTHIER-RÉVUZ, J. As palavras incertas. Campinas: Ed. da Unicamp, 1998.

BOLDRINI, M. As expressões formulaicas na linguagem de sujeitos afásicos: um estudo dos idiomatismos. (Relatório de Pesquisa de Iniciação Científica orientado por Edwiges Maria Morato – FAPESP), 2004.

BOTTINI, G.; CORCORAN, R.; STERZI, R.; PAULESU, E.; SCHENONE, P.; SCARPA, P. et al. The role of the right hemisphere in the interpretation of figurative aspects of language. A positron tomography activation study. BRAIN, v. 117, p. 1241-1253, 1994.

CAZELATO, S. E. A interpretação de provérbios equivalentes por afásicos: um estudo enunciativo. 2003. Dissertação (Mestrado) – IEL/Campinas, 2003.

DAMASCENO. B. P. Avaliação da linguagem do sujeito idoso. In: FORLENZA, O. V; CARAMELLI, P. (Ed.). Neuropsiquiatria Geriátrica. São Paulo: Atheneu, 2000.

DÉFONTAINES B. Les démences. Paris: MED-Line Éditions, 2001.

FAUCCONNIER, G.; TURNER, M. The Way We Think: Conceptual Blending and the Mind’s Hidden Complexities. New York: Basic Books, 2002.

KLEIBER, G. Sur les sens des proverbs. Langages, v. 139, p. 39-58, 2000.

KOCH, I. G. V. Introdução à Lingüística Textual. São Paulo: Ática, 2004.

LAKOFF, G. Les universaux de la pensée métaphorique: variations dans l'expression linguistique. In: FUCHS, C.; ROBERT, S. (Ed.). Diversité des langues et représentations cognitives. Paris: Ophrys, 1997.

LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Philosophy in the flesh. NY: Basic Books, 1999.

MARCUSCHI, L. A. Do código para a cognição: o processo referencial como atividade cognitiva. Veredas, V. 10, p. 43-62, 2003.

MONDADA, L. Cognition et parole-en-interaction. Veredas, v. 10, p. 131-39, 2003.

MORATO, E. M. Linguagem e Cognição – As reflexões de L.S. Vygotsky sobre a ação reguladora da linguagem. São Paulo: Plexus, 1996.

MORATO, E. M. (In)determinação e subjetividade na linguagem de afásicos: a inclinação anti-referencialista dos processos enunciativos. Cadernos de Estudos Lingüísticos, v. 41, p. 55-74, 2001a.

MORATO, E. M. Neurolingüística. In: MUSSALIN, F.; BENTES, A. C. (Ed.). Introdução à Lingüística: domínios e fronteiras. Ed. Cortez, 2001b. v. 2.

MORATO, E. M. Metalinguagem e referenciação: a reflexividade enunciativa nas práticas referenciais. In: KOCH, I.G.V.; MORATO, E.M.; BENTES, A. C. (Ed.). Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005a.

MORATO, E. M. Aspectos sócio-cognitivos da atividade referencial: as expressões formulaicas. In: MIRANDA, N.S.; NAME, M.C. (Ed.). Lingüística e cognição. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2005b.

MORATO, E. M. et al. Análise da competência pragmático-discursiva de sujeitos afásicos que freqüentam o Centro de Convivência de Afásicos (CCA-IEL/UNICAMP). Relatório Final de Pesquisa (FAPESP – Proc. 03/02694-9), 2005.

MOURA, H. M. Linguagem e cognição na interpretação de metáforas. Veredas, v. 10, p. 153-161, 2003

MOURA, H. M. Metáfora e regularidades lingüísticas. In: MIRANDA, N. S.; NAME, M. C. (Ed.). Lingüística e Cognição. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2005.

ORTONY, A. Beyond literal similarity. Psychological Review, v. 86, p. 161-180, 1979.

PAPAGNO, C. Comprehension of metaphors and idioms in patients with Alzheimer’s disease – A Longitudinal study. Brain, v. 124, p. 1450-1460, 2001.

PARRET, H. Enunciação e pragmática. Campinas: Ed. da Unicamp, 1998.

PIRES DE OLIVEIRA, R. 'A Manhã é uma esponja': Um estudo sobre a engenhosidade semântica. DELTA, v. 13, n. 2, 1997.

PLANTIN, C. Lieux communs, topoï, stéréotypes, clichés. Paris: Kimé, 1993.

SALOMÃO, M. M. A questão da construção do sentido e a revisão da  agenda dos estudos da linguagem. Veredas, v. 3, n. 1, p. 61-79, 1999.

SCHAPIRA, Ch. Les stéréotypes en français: proverbes e autres formules. Paris: Ophrys, 1999.

SWINNEY, D. A.; CUTLER, A. The access and processing of idiomatic expressions. Journal of Verbal Behaviour, v. 18, p. 523-534, 1979.

TABOSSI, P.; ZARDON, F. The activation of idiomatic meaning. In: EVERAERT, M. et al. (Ed.). Idioms: structural and psychological perspectives. Hillsdale (NJ): Lawrence Erlbaum, 1995.

VYGOTSKY, L.S. Thinking and Speech - The collected works of L.S. Vygotsky. (Vol.I). RIEBER, R.; CARTON, A. (Ed.). NY: Plenun Press, 1987 (original de 1934).




DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.16.1.157-177

Refbacks

  • There are currently no refbacks.
';



Copyright (c)



e - ISSN 2237-2083 

License

Licensed through  Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional    

Image result for fapemig

Grant #APL-00427-17 (2018-2019)